Comunicado-

 

Em face das notícias vindas a público nos últimos dias, o Conselho de Administração da RUMO – Cooperativa de Solidariedade Social, crl. confirma que decorre uma investigação e processos judiciais sobre o assunto relatado pela Comunicação Social, lamentando profundamente os factos ocorridos e repudiando totalmente as práticas que são alvo de notícias.

Por esse motivo, assim que tomou conhecimento das informações referidas, desencadeou um processo interno de averiguações, recorrendo a um especialista externo de forma a garantir a maior isenção e consistência na averiguação e resolução urgente deste problema. Estes processos decorrem ainda hoje nas devidas instâncias legais.

De modo a criar as melhores condições de averiguação dos factos e a segurança para as crianças e jovens acolhidas no Lar de Infância e Juventude RUMO, procedeu de imediato ao afastamento dos técnicos em causa, mantendo informadas as autoridades competentes.

A Cooperativa conta com 37 anos de trabalho em prol da melhoria da qualidade de vida das pessoas e comunidades em que se insere. Pauta a sua atuação por um conjunto de valores amplamente conhecidos e experiênciados pela comunidade dos territórios em que atua, valores esses que não se coadunam com a natureza dos factos apurados até ao momento. Nessa medida, agiu prontamente e em conformidade com o que a lei impõe e a ética aconselha. Deste modo, repudia totalmente os comportamentos que estão registados nos documentos de averiguação interna e externa.

A RUMO considera que este tema, de extrema relevância humana e social, exige recato e prudência no seu tratamento, exigindo assim a salvaguarda, em todas as circunstâncias, da proteção, privacidade e direitos das crianças e jovens acolhidos no Lar de Infância e Juventude.

 

O Conselho de Administração.

Barreiro, 3 de abril de 2019