Emprego Apoiado

VALORES / PRINCÍPIOS DO EMPREGO APOIADO QUE A RUMO ASSUME:

Emprego competitivo

O Emprego Apoiado promove o acesso ao mercado competitivo de trabalho, ou seja, às empresas comuns da comunidade. Todas as pessoas têm o direito de contribuir para a sua comunidade, aceder aos contextos profissionais e sociais que estão disponíveis para os outros cidadãos e usufruir dos mesmos recursos e benefícios.

O emprego competitivo é visto como um recurso de oportunidades e de inclusão social. As soluções propostas por outros programas que promovem o trabalho em estruturas especiais, como o emprego protegido, conduzem a situações estigmatizantes de trabalho, redutoras da participação e integração social.

A integração profissional numa empresa pressupõe a ocupação de um posto de trabalho, a existência de condições de trabalho idênticas às dos outros colegas, em termos da remuneração, regalias sociais e oportunidades de formação.

Os indivíduos não estão confinados a um local especial dentro da empresa, mas utilizam as mesmas instalações e serviços, participam nas mesmas actividades e têm a oportunidade de trabalhar em equipa e desenvolver relações interpessoais com os outros colegas.

Empowerment – Autodeterminação

A nossa intervenção é desenvolvida numa perspectiva de empowerment, valorizando as experiências anteriores, as necessidades e aspirações individuais e promovendo o envolvimento e a participação das pessoas na definição e implementação do seu próprio projecto de emprego (autodeterminação).

Autodeterminação pode ser definida como “a capacidade para o indivíduo definir e atingir objectivos baseados num conhecimento e valorização dele próprio” (Field & Hoffman, 1994), consistindo numa perspectiva individualizada do conceito de empowerment.

O empowerment deve ser entendido como um processo continuado, de crescimento e fortalecimento individual, através do qual os indivíduos vão desenvolvendo um conhecimento e valorização deles próprios, uma maior consciência crítica e analítica do ambiente social envolvente, uma maior capacidade para definir os seus objectivos e as estratégias para as alcançar, ou seja, o processo através do qual as pessoas assumem o controle e a responsabilidade sobre as suas vidas.

A adopção da metodologia de Emprego Apoiado implica, assim, a vontade expressa dos indivíduos em iniciar um projecto de inserção profissional e a sua participação e co-responsabilização na tomada de decisões ao nível do planeamento, avaliação e condução do seu projecto individual.

Este processo engloba a selecção do emprego, o contacto e negociação com os empresários, a identificação das suas próprias necessidades e recursos de suporte, contribuindo para o desenvolvimento de competências de autonomia e de resolução de problemas e para o fortalecimento individual.

O modelo de emprego apoiado pressupõe o desenvolvimento de percursos individualizados de inserção profissional e social, a partir da definição de projectos de vida claros e de acordo com os interesses, competências e necessidades de cada um dos participantes (person centred planning).

Job-matching

No incremento da empregabilidade é decisiva a procura de uma boa compatibilidade entre as necessidades das empresas e de um determinado posto de trabalho, com as competências de cada candidato/a. Um bom job-matching é um processo que facilita encontrar a pessoa certa para o lugar certo, combate a discriminação e promove a inserção com base nas competências.

Universalidade

Todas as pessoas, independentemente de questões culturais, étnicas, económicas, de deficiência ou doença mental devem ter a oportunidade de aceder ao emprego competitivo.

Os programas de emprego apoiado focalizam-se nas potencial idades e interesses das pessoas e baseiam-se na profunda convicção de que, com o apoio adequado, todas as pessoas têm a capacidade de crescimento e mudança e que a integração é possível mesmo com as pessoas que apresentam maiores vulnerabilidades.

O enfoque é colocado na identificação e desenvolvimento dos suportes necessários que permitam responder de forma eficaz e criativa aos diferentes desafios que são colocados. Inclusão Social As relações desenvolvidas no local de trabalho são vitais para a inclusão comunitária e para a satisfação pessoal.

Os indivíduos ao ocuparem um posto de trabalho numa empresa da comunidade, trabalhando lado a lado com outras pessoas e colaborando na realização de tarefas profissionais comuns, têm a oportunidade de demonstrar as suas capacidades de trabalho e de desenvolver relações de camaradagem e amizade que contribuem para desmistificar os preconceitos e estereótipos que sobre eles recaem.

O desenvolvimento de relações sociais diversificadas, entre pessoas de grupos diferentes, são benéficas para ambas as partes, são uma fonte importante de suporte social, facilitam o respeito mútuo e a aceitação e diminuem os factores de exclusão.

Oportunidades de Escolha

As pessoas não só devem ter um emprego competitivo, como esse deve ser o emprego da sua escolha, tendo em conta as suas potencial idades, interesses, aspirações e talentos. Contudo, muitas pessoas em situação de desvantagem nunca tiveram a oportunidade de escolher ou de desenvolver competências de tomada de decisões.

Muitas das decisões importantes sobre as suas vidas foram tomadas por terceiros, sem terem em conta os seus interesses ou preferências. A escolha tem sido restringida frequentemente por factores como o funcionamento e regulamentação das organizações, a falta de acesso à informação, a inadequação dos suportes ou a limitação de alternativas.

Os programas de Emprego Apoiado devem, assim, proporcionar o acesso à informação para que os participantes possam identificar, comparar e avaliar várias opções profissionais de forma a realizarem as escolhas com base nos seus interesses e qualificações.

Utilizando como recursos as empresas existentes na Comunidade, os programas de emprego apoiado são capazes de dar resposta às diferentes escolhas dos participantes, possibilitando o acesso às mais variadas áreas profissionais

Igualdade de Género

Os serviços de Emprego Apoiado devem promover a igualdade de oportunidades entre homens e mulheres, no sentido de permitir que ambos acedam plenamente, e em condições de igualdade, à participação na vida profissional.

Ao nível da definição dos planos individuais de inserção, é importante proporcionar informação sobre profissões e sobre o mercado de trabalho que não perpetue os estereótipos existentes sobre profissões femininas e profissões masculinas mas que concorra para alargar as perspectivas e o leque de escolhas. Por outro lado, devem ser identificados e disponibilizados os suportes necessários para facilitar o cumprimento das responsabilidades familiares e a sua conciliação com a vida profissional.

Os serviços de Emprego Apoiado devem estar particularmente atentos e promover, num trabalho de parceria com as empresas, uma cultura organizacional (linguagem e relacionamento, salário e outras condições de trabalho, instalações e materiais gráficos, procedimentos de selecção, formação e progressão na carreira) que seja respeitadora da dignidade e da igualdade entre mulheres e homens.

Suportes Individualizados e Flexíveis

Uma componente essencial destes programas é a existência de um sistema de apoio continuado e flexível que possibilite o sucesso e a manutenção do emprego. Tendo em conta que o processo de integração profissional é individual, o apoio deverá ser personalizado e focalizado nos objectivos, interesses e necessidades de cada um dos participantes.

Os suportes devem, assim, ser variados, flexíveis e individualizados e disponíveis por tempo indeterminado, de forma a serem ajustados à medida que as próprias necessidades e objectivos individuais se vão modificando ao longo do tempo e ao longo da carreira.

Os serviços de Emprego Apoiado devem também ser sensíveis ao background cultural e étnico dos candidatos, incluindo as questões da língua, religião e costumes culturais. O conceito de suporte é entendido de forma abrangente e inclui para além do apoio do técnico de Emprego Apoiado, o apoio dos suportes naturais: os colegas de trabalho, os tutores das empresas, a família, os amigos e outros (Nisbet e Hagner, 1988).

O suporte natural das empresas, nas suas dimensões de suporte social e tutoria, traduz-se em melhores resultados em termos do desempenho, integração e satisfação profissional (Revell, Inge, Mank e Wehman, 1999; Mank, 2000).

O suporte natural não contém apenas o potencial para aumentar e melhorar as oportunidades de formação e inserção, como estabelece e fortalece as redes de suporte social do formando, possibilitando uma maior autonomia face aos serviços técnicos de Emprego Apoiado.

Por outro lado, o projecto individual de emprego não é considerado de forma isolada, mas é integrado em termos dum projecto de vida global, pelo que se articula com objectivos e necessidades em termos habitacionais, culturais e de Ier, educacionais e sociais, o que implica a ligação com outros apoios e recursos da comunidade.

In Manual dos Percursos Integrados de Inserção (Projecto Emprego Apoiado, Equal, 2006)